PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES INTERNADOS POR TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL
PDF

Palavras-chave

Traumatismos craniocerebrais
Epidemiologia;
Causas externas

Resumo

Introdução: O traumatismo cranioencefálico constitui um relevante problema de saúde pública em todo o mundo, com repercussões econômicas importantes e alto impacto em anos de vida perdidos. Objetivo: Descrever o perfil epidemiológico dos pacientes internados por traumatismo cranioencefálico na região Centro-Oeste do Brasil. Materiais e Métodos: Estudo descritivo, quantitativo e retrospectivo com análise dos dados do Sistema de Informações Hospitalares do Sistema Único de Saúde (SIH/SUS). As variáveis consideradas foram ano, local, cid do traumatismo craniano, sexo, faixa etária, raça, taxa de mortalidade, média de permanência e valor gasto por internação. Os dados foram analisados com recursos da epidemiologia descritiva e apresentados com auxílio de tabelas. Resultados: Os dados apontaram que o perfil do paciente internado por traumatismo cranioencefálico na Região Centro-Oeste do Brasil é formada predominantemente por indivíduos do sexo masculino (77,33%), pardos (47,10%), idade de 20 a 29 anos (16,10%), cujo caráter de atendimento se deu na urgência (89,38%). Cada paciente custou em média R$1.895,68 aos cofres públicos, a taxa de mortalidade foi em média de 8,84 e a média de permanência dos pacientes no hospital foi de seis dias. Conclusão: A análise do perfil epidemiológico das internações pode pautar a elaboração de medidas preventivas voltadas às necessidades locais.

PDF