RELAÇÃO ENTRE A MICROBIOTA INTESTINAL E A DOENÇA DE PARKINSON
PDF

Palavras-chave

Doença de Parkinson
Microbioma Gastrointestinal
inflamação

Resumo

Introdução: A descoberta de um elo entre a composição da microbiota intestinal, tem levado a avanços significativos na compreensão de condições como a doença de Parkinson. Objetivo: Analisar a correlação entre as bactérias intestinais e a doença de Parkinson. Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, por proporcionar uma síntese dos resultados obtidos através de pesquisas publicadas. Para direcionar a pesquisa, adotou-se como pergunta norteadora: “Qual a relação existente entre as bactérias intestinais com a doença de Parkinson?" Para construção da pesquisa, a coleta e análise de dados foi realizada através do Portal da Biblioteca Virtual da Saúde e das bases de dados Medical Literature Analysis and Retrievel System Online via PubMed e Google Acadêmico através dos seguintes Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): “Doença de Parkinson”, “Microbioma Gastrointestinal” e “Inflamação” combinados entre si pelo operador booleano AND com seus respectivos correspondentes no Mesh Terms. Resultados e Discussão:  A relação entre a bactéria intestinal comum e a doença de Parkinson tem sido objeto de crescente interesse na comunidade científica. A descoberta de que a composição da microbiota intestinal pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento e progressão da doença neurodegenerativa. Considerações Finais: A presença de certas bactérias intestinais, como a família Enterobacteriaceae, tem sido associada a um aumento do risco de desenvolver a doença de Parkinson. Essas bactérias podem produzir substâncias tóxicas capazes de desencadear uma resposta inflamatória no cérebro e contribuir para a morte de neurônios dopaminérgicos.

https://doi.org/10.22491/2447-3405.2023.V9.9h4
PDF