GESTAR UM FILHO E CORRER RISCO DE MORTE: O COTIDIANO DE GESTANTES DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19
PDF

Palavras-chave

Morte materna
Gravidez
COVID-19

Resumo

Introdução: A crise sanitária pela COVID-19 aumentou expressivamente as mortes maternas no Brasil e potencializou os desfechos maternos desfavoráveis, tornando as gestantes e puérperas grupo de risco, exigindo cuidados que modificaram a vivência desse período. Objetivo: Demonstrar como ocorre no cotidiano a vivência da gestação e puerpério durante a pandemia pela COVID-19. Método: Estudo qualitativo com referencial metodológico da História Oral e técnica de amostragem snowball, com mulheres que vivenciaram ou estavam vivenciando a gestação e/ou puerpério durante a pandemia. As entrevistas foram semiestruturadas, audiogravadas e ocorreram por meio virtual, sendo posteriormente transcritas na íntegra. Os dados foram analisados por meio da Análise Temática de Conteúdo. Resultados: Participaram 15 mulheres com idade entre 21 e 42 anos, das quais 3 eram gestantes, 1 puérpera e 11 tinham vivenciado a gestação e o puerpério na pandemia. Emergiram duas categorias: “O SARS-CoV-2: ‘Um vírus covarde porque ele lhe afasta das pessoas que você ama’”, onde se evidenciaram os sentimentos vivenciados pelas participantes durante a pandemia por COVID-19; “A assistência de saúde no período gravídico-puerperal”, onde se notaram as modificações ocorridas nos serviços de saúde e nas práticas profissionais em decorrência da crise pandêmica, que as mulheres precisaram se adequar. Conclusão: As mulheres vivenciaram sentimentos negativos durante a gestação dado ao contexto de incertezas e notícias sobre a evolução da pandemia, bem como, sentimentos de solidão no puerpério. Notou-se que houve modificações na assistência ao pré-natal e parto para minimizar a exposição e adoecimento das mulheres e seus filhos pela COVID-19.

PDF